“As forças mais profundas que vivem no íntimo da criança, só podem ser tocadas e avivadas pelo brinquedo mais sadio do mundo: o brinquedo chamado natureza”, Rudolf Kishnick.

Outubro é o mês do Projeto Reinventando a Infância no CEAT. Em 2021, a iniciativa chega a sua 20ª edição com o intuito permanente de celebrar a infância, através de diferentes vivências às crianças da Educação Infantil e das Séries Iniciais de ambas as unidades do CEAT. As atividades também envolvem o CEAT Integral, oferecido no turno inverso ao das aulas.
Neste ano, os elementos da natureza são o convite para a exploração, as vivências, as sensações, o aprendizado e, certamente, as brincadeiras. A observação dos elementos naturais – fogo, terra, ar e água – ao ser feita de forma viva dentro e fora do corpo, traz a experiência direta de ser inseparável da natureza, oferecendo uma ecologia humana significativa e cultivando um pensamento científico que seja, ao mesmo tempo, ético e afetivo. A cada semana de outubro, um dos elementos será trabalhado nas turmas. O primeiro deles foi o fogo.
A proposta geral do Reinventando a Infância foi apresentada aos colaboradores envolvidos em um encontro especial, realizado no fim de setembro. Na ocasião, os professores e monitores interagiram com os elementos e aprenderam com a consultora da èthos - Criação Elementar, Dra. Juliana Gasparotto, também professora do CEAT.

 

Um dos prédios do CEAT Lajeado foi tema de estudo da arquiteta Karine Colling para o mestrado em Teoria História e Crítica da Arquitetura, ofertado pela Ufrgs. Na disciplina de Arquitetura Moderna e Contemporânea Brasileira no Sul, ela decidiu fazer a análise do Bloco 1 do CEAT, edificação dos anos 60 com muitos traços da Arquitetura Moderna.
Para compor seu trabalho, Karine, que é ex-aluna do colégio, conversou com os professores Ladair Rahmeier, Susane Giongo, Renate e Ingo Schreiner, que auxiliaram com materiais e informações, e também buscou fotos e projetos no acervo do colégio e no arquivo municipal. “Durante a realização dessa pesquisa, percebe-se algumas alterações que foram feitas em relação ao projeto original, como a pintura dos pilares e das abas, que originalmente eram em concreto aparente. Mas, a alteração que fica mais evidente é o fato de manter abertos para o exterior as circulações e o hall da sineta. No projeto original as circulações eram fechadas e a visão para o exterior aconteceria através de pequeninas janelas e o hall da sineta seria fechado com uma grande esquadria semelhante a existente nas salas de aula”.
Além do resgate dos documentos históricos, a arquiteta encontrou o colega de profissão João Paulo Umpierre Pohlmann que, aos 87 anos, fez questão de escrever a sua biografia para o trabalho. Ela também buscou informações sobre os demais arquitetos da obra: Luiz Frederico Mentz e Armando Piazza Filho.

 

Autonomia, postura ética e visão crítica estão entre os princípios e valores do CEAT para a formação de cidadãos preparados e engajados com a sociedade. O aprendizado, a reflexão e a aplicação prática destes conceitos acontecem de maneira constante nas propostas pedagógicas e envolvem os alunos de diversas faixas etárias, professores e, muitas vezes, representantes de organizações externas ao CEAT.
Neste sentido, o workshop “Caminhos para o mundo que sonhamos” envolveu os alunos da 3ª série do Ensino Médio nesta semana. A atividade teve por objetivo estimular os alunos a identificarem suas aspirações para a sociedade em que vivem e quais estruturas os impedem de alcançá-las, além de encorajar a criação de estratégias para superar os problemas identificados. As capacidades desenvolvidas no workshop tiveram cunho social e acadêmico, contribuído através das reflexões para o crescimento pessoal dos alunos e para o desempenho em processos seletivos para o ingresso nas universidades. O momento de reflexão aconteceu na aula de história do professor Leonel von Mühlen.
O ex-aluno do CEAT Giácomo Ramos, estudante de Ciências Políticas e Antropologia na Universidade de Chicago (UChicago), é um dos organizadores do workshop. Ele integra o Projeto Andemos, iniciativa criada em 2020 que reúne quatro estudantes universitários com o intuito de contribuir para a educação política no Brasil.

Incentivar a reflexão e a ação das famílias sobre diferentes temas é uma proposta presente em diversas ações do CEAT. Estes momentos de orientação e capacitação têm o intuito de contribuir para o bem-estar das famílias e o desenvolvimento dos alunos através da oferta de informações seguras e de qualidade. O Seminário de Pais é uma das ações realizadas anualmente e sempre traz temáticas atuais e abrangentes apresentadas por profissionais reconhecidos em suas áreas.
A edição de 2021, realizada nesta semana, abordou o tema: Ambientes emocionalmente saudáveis nas famílias e na escola. A partir de situações vivenciadas ao longo da pandemia, a Ma. Bianca Stock, especialista em problemas do desenvolvimento da infância e adolescência, destacou a importância de os adultos contribuírem para o desenvolvimento integral das crianças e dos adolescentes. De acordo com a psicóloga, as famílias e a escola devem oferecer ambientes que incentivem que os filhos e os alunos compreendam quem são, do que gostam e como podem contribuir com as pessoas com quem convivem e as situações que vivenciam. Estes ambientes que promovem a conexão, e não o controle, auxiliam no desenvolvimento das aprendizagens, na criação de laços de entendimento, na escuta e na construção de limites.
A partir das perguntas trazidas pelas famílias e apresentadas pela orientadora educacional do CEAT Laura Opperman Elter, Bianca Stock reforçou que os desafios de comportamento são oportunidades de ensinar habilidades de vida e que é preciso focar na solução e no encorajamento, considerando os erros como oportunidades de aprendizagem e de desenvolver responsabilidade pelos atos. Também foram abordados no evento temas como o ócio, o incentivo a criatividade, a necessidade de um olhar atento para o uso de telas e jogos e a construção de acordos na família.
Além disso, o Seminário de Pais contou com a participação do diretor geral, Rodrigo Ulrich, que atualizou a comunidade escolar sobre questões como a retomada de algumas atividades optativas, o currículo escolar, as rematrículas, os investimentos e as reformas no colégio. O link de acesso ao evento segue disponível nas salas de aula virtuais.

 

Quatro equipes representaram o CEAT neste final de semana em competições de vôlei e basquete. A equipe de vôlei Docile/CEAT/Bira, junto com o professor treinador Aníbal Severo Soares, conquistou a Copa RS Mirim na Série Prata. O jogo aconteceu no sábado, em Novo Hamburgo. Além disso, a equipe de vôlei Infantil, jogou sob orientação do professor Marlon Bohn, pela Copa Claudio Braga, em Estrela, no domingo.
Pelo Campeonato Gaúcho de Basquete, as equipes sub 12 e sub 14 estiveram em quadra. Sob o comando de Leonardo de Menezes, o Vidros Lajeadense/CEAT/BIRA, sub 12, venceu os dois jogos realizados no Ginásio do CEAT, em Lajeado, no sábado. A equipe Fruki/CEAT/Bira, sub 14, comandada pelo professor treinador Clairton Wachholz (Xis), também venceu os dois jogos que aconteceram em Caxias do Sul, no sábado.
As equipes de rendimento de basquete e vôlei do CEAT retornaram às competições recentemente, depois de mais de um ano paradas em razão da pandemia. Os treinos, incluindo também as modalidades de atletismo e ginástica, retornaram há dois meses com o aval das autoridades. Durante o período da suspensão, o CEAT manteve a estrutura necessária para os atletas de todas as modalidades esportivas, mantendo os contratos dos profissionais, os equipamentos e os espaços físicos.

 

Subcategorias

Toshyro Inovação e Tecnologia