04.07XadrezJogos e brincadeiras são fundamentais para o desenvolvimento cognitivo e são praticados no CEAT em diferentes modalidades. Um dos jogos que integra o currículo é o xadrez, presente oficialmente nas aulas da 5ª e 6ª série de educação física, desde 2008, e de matemática, desde 2018.
Com o intuito de integrar os alunos e de promover o desenvolvimento de novas jogadas e estratégias, o CEAT realizou o 1 º Torneio Estudantil de Xadrez na última quarta-feira, dia 03 de julho. O evento reuniu 91 alunos, a partir da 3ª série do Ensino Fundamental, de ambas as unidades do colégio. Os participantes foram distribuídos em três categorias: Mini, Mirim e Maior. 
A professora organizadora, Rosane Koefender, destaca que “ao jogar xadrez, o aluno adquire habilidades como maior desenvoltura ao tomar decisões, treinamento do pensamento crítico, maturidade intelectual, autonomia, autoconfiança, poder de análise de consequências, aumento da disciplina, responsabilidade das ações, habilidade de antecipação e aumento da velocidade de pensamento”. Além disso, “ao participarem de torneios, de maneira lúdica, os estudantes colocam em prática os aprendizados das aulas e percebem jogadas e estratégias diferentes das que utilizam normalmente. Este tipo de evento também oportuniza o fortalecimento das relações humanas através do reforço da amizade e do companheirismo e da criação de novos vínculos e proporciona que estudantes conheçam novos lugares e organizações”, reforça a docente.
Os alunos concordam com os benefícios do Torneio. Lorenzo Dal Molin Bertoglio, da 6ª série, conta que achou a organização do evento muito boa e que todos saíram aprendendo algo. Ele, por exemplo, aprendeu uma nova jogada. Já os estudantes João Pedro Ferrari Orlandini, da 4ª série, e Marcus Vinicius Kronbauer, da 7ª série, ressaltam que o torneio foi uma oportunidade de voltar a praticar o jogo no colégio e um momento positivo de integração com estudantes de diferentes séries e entre as unidades do CEAT.

O xadrez é uma das quatro modalidades esportivas que integram a Olimpíada Nacional da Rede Sinodal de Educação - ONASE, realizada há 55 anos. A cada dois anos, estudantes do CEAT têm a oportunidade de representar o colégio na competição nacional de xadrez. Além disso, o colégio tem participado de torneios regionais da modalidade.

Mais uma vez a escola é destaque no Enem e aparece entre as melhores do Sul do Brasil.

O Colégio Evangélico Alberto Torres – CEAT é a melhor escola entre as instituições públicas e privadas do Rio Grande do Sul de acordo com o desempenho alcançado pelos alunos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). No Sul do Brasil, a escola do Vale do Taquari é a segunda melhor entre todas as participantes e a melhor entre as privadas.
Além disso, pelo sétimo ano consecutivo, o CEAT é a melhor escola do Vale do Taquari. Os dados são baseados na tabulação divulgada pela Folha de São Paulo no dia 18 de junho. O resultado leva em conta o desempenho nas provas de 2018 nas questões objetivas.
A média da escola nessas questões ficou em 671,11 pontos. Esse é o resultado da soma da pontuação das áreas de ciências da natureza (637,73), ciências humanas (675,54), linguagem (637,72) e matemática (733,47). Na redação, o CEAT é a quinta escola no estado, com média de 815,26 pontos.
O Enem é principal instrumento de avaliação da Educação Básica no país e importante meio de acesso ao ensino superior no Brasil e isto faz com que o resultado do desempenho dos alunos seja considerado relevante na análise do trabalho realizado pelo CEAT. De acordo com dados históricos, o colégio vem apresentando resultados crescentes desde 2010, fator que indica a assertividade do desenvolvimento das competências e habilidades ao longo de toda a caminhada escolar.
O diretor geral Rodrigo Ulrich comemora: “orgulhamo-nos de nossa comunidade escolar, do trabalho que é realizado, do relacionamento que é construído. Os resultados do colégio são frutos dos estudos e da capacidade de engajamento com a sua formação por parte dos estudantes, da crença e do investimento das famílias na educação como fator decisivo na formação dos filhos e da seriedade com que os profissionais do colégio valorizam o trabalho, a missão social alcançada pela educação. Esse conjunto traça objetivos, realiza junto e também celebra, se alegra”.
Embasado num trabalho amplo, abrangendo as diferentes áreas do conhecimento e demandas sociais, o CEAT busca alcançar as diferentes necessidades na formação do cidadão. “Consolidar-se também no ENEM como a melhor escola do Rio Grande do Sul e manter destaque na educação do Sul do Brasil é um marco muito importante. Estes resultados específicos, como no esporte, nas artes, nas áreas de inserção social, na pesquisa, nas línguas estrangeiras, são indicadores positivos de um processo bastante amplo de formação integral”, explica o diretor. Ele complementa: “pensar, planejar e fazer educação requer o olhar para o que é alcançado em processos específicos de avaliação, mas também numa trajetória de vida que segue para além do colégio, para além do ingresso no ensino superior, para além do mercado de trabalho, portanto, num contexto de vida e sociedade”.

18.05OratoriaDois estudantes representaram o CEAT na etapa local do Concurso de Oratória nas Escolas da JCI. Camila Reolon Scariot e Luca Bohnenberger foram os classificados na etapa interna e, portanto, participaram das apresentações realizadas nesta segunda-feira, dia 17 de junho, na JCI Lajeado. Os alunos foram acompanhados pela professora Martiele Jung.

Camila Reolon Scariot alcançou o 1º lugar e se apresentará em mais uma etapa do Concurso, que acontecerá no dia 06 de julho, no Teatro CEAT – o colégio será uma das três sedes brasileiras do Encontro Regional da JCI. Se a estudante ficar bem colocada em mais esta etapa, participará do Concurso Nacional de Oratória das Escolas que acontece em outubro, em São Paulo.

Subcategorias

Tecnologia - Toshyro.net